Metalúrgicos de Curitiba montam batalhão de advogados para enfrentar Reforma Trabalhista


Antevendo-se ao descaso ao qual o trabalhador ficará exposto pela Reforma Trabalhista, o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC) ampliou o convênio com escritórios de advocacia em toda as cidades atendidas.

O objetivo é atender as demandas dos trabalhadores e impedir a perda de direitos na hora da rescisão de contrato e em todos os outros pontos tocantes à Reforma Trabalhista. A ideia é que essa rede conte com mais de 100 advogados trabalhistas já em 2018.

“A nossa rede jurídica vai ajudar a diretoria do Sindicato a dar atenção e atender trabalhadores neste cenário depois da Reforma, até pelo fato de que muitas dessas empresas estão deixado e procurar o Sindicato nas rescisões e a tendência é que mais direitos trabalhistas sejam sonegados neste momento”, explica Sérgio Butka, presidente do SMC.

Segundo levantamento da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, cerca de 70% das rescisões já continham erros em prejuízo do trabalhador, antes mesmo da Reforma entrar em vigor.

Com as novas regras impostas pela mudança, deixando de ser obrigatória a rescisão no Sindicato depois de um ano de contrato de trabalho, a tendência é que esse número de erros cresça ainda mais.

Cidades que a rede de advogados do SMC irá atender: Curitiba, Adrianópolis, Agudos do Sul, Almirante Tamandaré, Araucária, Balsa Nova, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo do Tenente, Campo Largo, Campo Magro, Cerro Azul, Colombo, Contenda, Curitiba, Doutor Ulisses, Fazenda Rio Grande, Itaperuçu, Lapa, Mandirituba, Piên, Pinhais, Piraquara, Quatro Barras, Quitandinha, Rio Branco do Sul, Rio Negro, São José dos Pinhais, Tijucas do Sul e Tunas do Paraná.

Recomendamos para você


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.


*