Após pressão popular, deputados rejeitam fundo eleitoral de R$ 3,6 bilhões para 2018


Depois da repercussão negativa sobre o destino a ser dado aos R$ 3,6 bilhões para campanhas eleitorais de 2018 e pressões da sociedade, os deputados rejeitaram o fundo eleitoral.

Foram 441 votos pela retirada contra e apenas um favorável a exclusão do 0,5% da receita orçamentária para fundo eleitoral.

Por enquanto, está mantido o financiamento público eleitoral, mas, agora, não se sabe de onde virá o dinheiro.

O único voto favorável foi da deputada Geovania de Sá (PSDB-SC), que alegou que se equivocou na hora de votar e, depois, pediu que seu voto fosse retificado.

Terceira suspensão

Após a rejeição ao fundo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a sessão, adiando, pela terceira vez, a discussão sobre o distritão e o fundo público eleitoral. A próxima votação deve ser retomada na terça-feira (29).

A ideia agora é usar o placar dos requerimentos votados nesta quarta para traçar uma maneira de aprovar a mudança do sistema proporcional para o distritão e a criação do fundo público eleitoral. Cada um dos artigos será votado separadamente e precisará de 308 votos.

Parlamentares da oposição, que são contra o distritão, afirmaram que o placar da votação que fatiou a PEC e determinou que a alteração do sistema eleitoral seria votado antes da criação do fundo demonstra que não há votos para a adoção do modelo majoritário em 2018. Foram apenas 241 votos a favor.

Fonte: Gazeta do Povo

 

Recomendamos para você


1 Comments

  1. Porque a conta vem sempre pro povo, chega disso, vão tirar dinheiro do seus bolsos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.


*