Carrefour é condenado por cárcere privado


O Carrefour foi condenado a pagar uma indenização no valor de R$ 20 mil a um trabalhador temporário, contratado por uma empresa terceirizada, que foi impedido de sair de uma loja em Goiânia (GO). O funcionário terminou o expediente às 3h22, mas os seguranças só o liberaram às 6 horas, alegando normas da empresa.

O trabalhador entrou com ação no Tribunal Regional do Trabalho, que, em 2ª instância, considerou que houve cárcere privado.

“Fiquei indignado, pois a empresa desrespeitou muito além do direito de um trabalhador, mas o direito de ir e vir da pessoa humana. Eu estava cansado, já tinha trabalhado de madrugada na noite anterior, e fui obrigado a ficar lá esperando, coagido, me sentindo humilhado”, destacou.

Sentença – O caso foi analisado na 15ª Vara do Trabalho de Goiânia, que deu ganho de causa ao trabalhador. Na 2ª Instância, o julgamento concluiu que ficou caracterizada a situação de violação ao direito fundamental de ir e vir, ou seja, cárcere privado. Ainda cabe recurso.

Fonte: Agência Sindical com trt18.jus.br

Recomendamos para você


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.


*