Anota lá: 29 de setembro é dia de paralisação e lutas em defesa dos direitos


Na quinta-feira 29 de setembro, metalúrgicos em paralisação no Brasil inteiro sairão às ruas em manifestações contra o corte de direitos. São ataques a direitos trabalhistas, previdenciários e sociais por parte das entidades patronais, de seus representantes no Congresso Nacional.

O ato do dia 29 de setembro recebeu o nome de Dia Nacional de Luta e Paralisações em Defesa dos Direitos. A proposta foi decidida no dia 8 de setembro em reunião no Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo. No encontro, houve a presença de dirigentes metalúrgicos de entidades de todas as centrais sindicais, com distintas posições políticas. A proposta foi reafirmada e reforçada quatro dias depois, no dia 12, pelos dirigentes da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM).

“Somos mais de 2 milhões de metalúrgicos no Brasil que, em unidade de ação, estarão nas portas de fábricas e nos mais diversos espaços públicos, em todo o país, protestando contra as propostas que tiram direitos e prejudicam a classe trabalhadora”.

Miguel Torres, presidente do Sindicato dos Metarlúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos e vice-presidente da Força Sindical

O protesto deverá contar com o apoio e participação de outras categorias, rumo a uma greve geral da classe trabalhadora.

CORTAR DIREITOS NÃO GERA EMPREGOS, RETOMADA DA ECONOMIA JÁ!

Confira quais são as ameaças aos direitos, sem contar a reforma da previdência como proposta de emenda à Constituição (PEC):

  • Expansão da terceirização sem limite
  • Redução da idade mínima para o trabalho de 16 para 14 anos
  • Negociação direta entre empregado e empregador
  • Impedimento de o empregado demitido reclamar na justiça do trabalho
  • Suspensão do contrato de trabalho
  • Prevalência do negociado sobre o legislado
  • Prevalência das convenções coletivas do trabalho sobre as instruções normativas do ministério do trabalho e emprego
  • Livre estimulação das relações trabalhistas entre trabalhador e empregador sem a participação do sindicato
  • Regulamentação do trabalho intermitente por dia ou hora
  • Estabelecimento do código de trabalho
  • Sustação da NR12 (norma regulamentadora) sobre segurança no trabalho em máquinas e equipamentos

 

Recomendamos para você


2 Comments

  1. niseraveis podendo ta taxando as grandes fortunas querem atacar o fraco.

  2. Como esta tramitando ests mudança de lei no congresso onde vejo isyp?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.


*