Contenção de gastos para quem? Poder Judiciário tem generoso reajuste


Temos alertado que há uma tentativa de se fazer somente o andar de baixo pagar a conta da crise. Arrocho salarial e corte de direitos dos trabalhadores são, para o governo, medidas para sanar as contas públicas.

SAMPAIO/ESTADAO

SAMPAIO/ESTADAO

O corte de conquistas trabalhistas não é um fenômeno que ocorre somente no Brasil. Países como França e Grécia tem se mobilizado para impedir que isso aconteça. Por lá, os governos tentam repassar a conta da crise aos trabalhadores.

O país sofre com quase 11,5 milhões de desempregados, inflação acumulada de quase 9% nos últimos 12 meses e recordes na queda da arrecadação de impostos (em abril, foi a menor arrecadação para o mês em seis anos – diminuição de 7,1% em relação a abril de 2015).

Mas, isso parece pouco importar ao governo Temer, já que ele sancionou, sem vetos, reajuste de 41,5% para o Poder Judiciário. Tem mais! Funcionários do Ministério Público Federal (MPF) terão reajuste de 12%.

É mole? Ajuste fiscal para quem, afinal? É muita generosidade com o dinheiro público por parte de um governo que tanto fala em rombo de R$ 170 bilhões e que tanto se queixa da herança de governos anteriores.

QUANTO VAI CUSTAR AOS COFRES PÚBLICOS

 As propostas de reajuste salarial para as categorias foram aprovadas pelo Senado no fim de junho. Os aumentos serão pagos gradativamente em 8 parcelas até junho de 2019.

O impacto dessa iniciativa, de acordo com cálculos do governo interino é de R$ 1,7 bilhão para os cofres públicos ainda esse ano. Para o ano que vem, a previsão é de um impacto de R$ 4,7 bilhões.

Para 2018, o governo de Temer planeja gastar R$ 6,5 bilhões e, no ano seguinte, R$ 9,3 bilhões. Para os quatro anos, o total acumulado é de R$ 22,3 bilhões.

Graças ao apoio do governo interino, o Congresso Nacional conseguiu aprovar em 2016 um aumento de R$ 52,9 bilhões até 2019 para servidores públicos.

 JUSTIFICATIVA DO PALÁCIO DO PLANALTO

 A elevação nos salários do Poder Judiciário e dos funcionários do MPF, segundo o Palácio do Planalto, enquadra-se na regra do teto para o crescimento dos gastos públicos criada pela nova equipe econômica.

Recomendamos para você


1 Comments

  1. Servidores do judiciário estão há vários anos sem aumento. Veja os salários dos servidores do judiciário X banco central X agências reguladoras. Confira e veja que mesmo com reajuste, que será implementado somente em 2019, os salários ainda assim estarão abaixo destas outras carreiras.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.


*