Auditoria Cívica da Saúde

Comunidade se une em projeto da Força PR e obtêm 233 melhorias na saúde pública de SJP


Auditoria Cívica na Saúde contou com a participação de 110 cidadãos. Em 12 meses de fiscalização uma mudança completa foi constatada na comunidade

Imagine um cidadão reivindicando seus direitos para a Prefeitura de sua cidade Sozinho. No grito. Que força teria? Será que a Prefeitura atenderia seus pedidos? Agora, imagine esse mesmo cidadão aliado a outras dezenas de cidadãos, trabalhando em conjunto, de forma organizada, sistematizada e metódica, inclusive em aliança e diálogo com a própria Prefeitura. Esse é o conceito base da Auditoria Cívica da Saúde, projeto trazido ao nosso Estado pela Força Paraná.
A iniciativa já tinha dado certo em mais de 50 cidades do Brasil, promovida pela Instituto de Fiscalização e Controle (IFC), com um conceito bastante prático: depois de receber uma rápida formação sobre o funcionamento da saúde pública, cidadãos partem para campo auditando as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município. Simples, não? Em São José dos Pinhais, cidade escolhida pela Força PR para o projeto piloto, a iniciativa aglutinou 110 cidadãos.

Líderes da Força Sindical-PR acompanharam de perto o desenvolvimento de todo o projeto. Com tantos resultados positivos restou uma certeza: “queremos mais!”

Depois de fiscalizarem 25 Unidades de Saúde, elaboraram uma lista com 320 pedidos de melhorias necessárias, abrangendo 25 postos de saúde. Protocolaram os pedidos na Prefeitura e no Ministério Público. Em março desse ano, retornaram para uma auditoria parcial, na qual constataram que 58% dos itens foram atendidos. Em agosto, novamente se reuniram e partiram para a vistoria final, que revelou atendimento de 72,81% dos itens atendidos. Ou seja, de forma organizada e articulada com o poder público, esses cidadãos conseguiram aperfeiçoar muito a saúde pública em seu município, com a realização de 232 melhorias que eles mesmos solicitaram. Contabilizando os itens que estão em encaminhamento e que levam mais tempo, por envolverem obras e licitações, o índice de resolução chega a 85%.

“Foi uma experiência gratificante. Tivemos muitas alegrias e percebemos que é possível melhorar o Brasil através da participação popular”.
Everton Kschlat, diretor do Instituto de Fiscalização e Controle (IFC) de Brasília

A organização dos cidadãos foi tão intensa que influenciou diretamente o método de trabalho da Secretaria de Saúde do município. Alguns coordenadores de postos foram substituídos e novos procedimentos foram criados para atender às solicitações dos auditores cívicos. “Toda a secretaria se mobilizou para alcançar as melhorias indicadas pela população. Dessa forma, conseguimos atingir, pouco a pouco, todos os setores solicitados. Agora estamos até estudando realizar uma auditoria periódica como cultura na gestão da saúde no município”, relata o Secretário de Saúde de São José dos Pinhais, Brasílio Vicente de Castro Filho.


Em diversas unidades todos os itens apontados na auditoria foram atendidos, como nos casos dos postos Afonso Pena, Martinópolis, Borda do Campo, Guatupê, Ipê, CAIC, Faxina, Córrego Fundo e Contenda. Segundo o promotor do Ministério Público na área da Saúde em SJP, Willian Lira de Souza, os resultados foram os melhores possíveis. “As nossas expectativas foram, em muito, excedidas. Por conta dessa participação popular houve uma comoção geral, tanto do gestor, quanto dos servidores, que trabalham nas unidades de saúde, de modo que em pouco tempo nós vimos uma revolução interna nas unidades, tanto com relação à recepção das pessoas quanto com relação à estrutura, aparência, luminosidade, acomodação, organização de fila, organização de medicamentos e disposição de salas”, resume o promotor.

“Toda a secretaria se mobilizou para alcançar as melhorias indicadas pela população”.
Brasílio Vicente de Castro Filho, Secretário de Saúde de São José dos Pinhais

A mudança encontrada nos postos de saúde surpreendeu, até mesmo, os integrantes do IFC, que deram a formação para os cidadãos auditores. “Tive a oportunidade de visitar três unidades repetidamente e deu para perceber uma mudança até no ânimo das pessoas. Na primeira vez, em uma das unidades, a circulação estava péssima, amarelada, suja, desorganizada. Foi uma alegria voltar lá. Todas as salas estavam com ventilador, a unidade foi pintada com uma cor mais clara e a sala de espera tinha cadeiras novas”, conta o diretor do IFC, Everton Kschlat. “A Força PR fez uma mobilização junto ao Conselho de Saúde, secretários e coordenadores, que colaborou para que os trabalhos fluíssem de forma adequada, ágil e objetiva. A entidade está de parabéns e esperamos que continue sempre avançando”, destaca Ykaro Lima, assistente de projetos do IFC.

 

Recomendamos para você


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.


*